TIPOS DE EMPRESAS – QUAIS SÃO?

Tempo de leitura: 5 minutos

Nós aqui do blog já falamos em outro artigo a seguinte frase:

“Quando um novo projeto empresarial vai ser posto em prática, antes se faz necessário a constituição de uma pessoa jurídica com um CNPJ. Esse CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) dá a empresa uma identidade, ou seja, dá a ela a legalidade perante o mercado de que ela pode operar normalmente e dentro das regras.”

Isso quer dizer o que? Que todo projeto de empresa passa antes pelos mesmos passos!

Em outro artigo, nós também já falamos que na hora de constituir uma empresa, os sócios devem determinar que tipo de sociedade ela será (clique aqui para ver). No artigo de hoje, vamos falar dos tipos de empresas que existem e quais suas características! Vamos ao tema…

Familiar, cooperativa, empresarial.

Existem diversos tipos de empresas e existem diversos tipos de sociedades e é muito importante primeiramente saber qual a diferença entre elas. Para isto, vamos recorrer a um dicionário:

Empresa: Organização do capital e do trabalho, empenhada em atividade econômica objetivando lucro.

Sociedade: Reunião de duas ou mais pessoas que combinaram pôr em comum todos os seus bens ou parte deles, a sua indústria simplesmente ou os seus bens e indústria conjuntamente, com o intuito de repartirem entre si os proveitos ou perdas que possam resultar dessa comunhão.

Pode até parecer semelhante suas definições, mas o que o leitor deve entender é que uma empresa é uma entidade voltada ao lucro enquanto que uma sociedade é o modelo ao quais os sócios dessa empresa vão se organizar para dar início às operações desta.

Portanto, um grupo de sócios podem se organizar em uma sociedade Limitada, S.A., Comandita por ações, dentre outras, sendo que esta escolha determina suas determinações a seguir, legislação, modelo de tributação e etc.

Já o tipo de empresa que ele irá ter, demonstra que tipos de pessoas configuram a empresa e elas podem ser:

Empresas familiares

Empresas familiares são aquelas que possuem essencialmente membros de uma ou mais famílias nos principais cargos de gerência e de responsabilidade, configurando um grupo que tomam decisões acerca o futuro da empresa.

Empresas familiares geralmente possuem estratégias de negócios que visam o benefício da(s) família(s) envolvida(s), nem sempre sendo a melhor opção ou estratégia que outras empresas  não familiares tomariam, como a) a distribuir todo o lucro, b) realizar empréstimos entre a empresa e os membros da família, c) utilizar as contas da empresa para pagar dívidas pessoais e etc.

Em muitos casos, as empresas familiares advém de muito tempo atrás com gerações e mais gerações de filhos, netos, sobrinhos e bisnetos assumindo a posição de seus antepassados e mantendo o poder e as tomadas de decisões dentro da família.

Casos famosos de empresas familiares são Odebrecht Gerdau.

Empresas privadas

Este tipo de empresa constitui em seu quadro societário apenas membros, sejam pessoas físicas ou jurídicas, que não configurem nenhum relacionamento com o governo.

As empresas privadas são aquelas que possuem capital social atrelado ao valor monetário depositado exclusivamente por seus sócios que buscam lucros em suas atividades, ou seja, estes exercem suas atividades a fim de lucrar sobre o capital inicial investido na empresa.

O sistema capitalista, o qual nós vivemos, é onde as empresas privadas possuem maior importância quando elas nos oferecem serviços e produtos, realizados geralmente em grandes quantidades e para atingir diversos públicos.

Empresas privadas famosas são o Mcdonalds, Microsoft, Apple, Pão de Açúcar, Itaú dentre outras.

Empresas estatais

Conhecidas também como empresas públicas, esse tipo de empresa possui como controladora o próprio governo, tendo muitas vezes o objetivo de trazer benefícios à sociedade, sem que sejam perseguidos lucros.

Hospitais públicos, serviços de infraestrutura, transportes públicos, estes são todos exemplos de empresas que não desejam lucrar em cima de seus consumidores e sim trazer um serviço essencial para a população e que o governo entenda que deve ficar sob sua guarda.

O capital social da empresa estatal não possui sócio, como nas empresas privadas, e sim a participação do governo em 100% de suas “ações”. Aqueles que trabalham neste tipo de empresa não ficam sob a legislação das CLTs por ser considerado um servidor público.

Em empresas estatais, o dinheiro que “sobra” depois do pagamento de todas as despesas é chamado de “superávit”, por ter tido um saldo positivo sobre seu orçamento. Já no caso da empresa gastar mais dinheiro do que conseguir arrecadar, reconhece-se um “déficit” e não um prejuízo.

Há ainda o caso das autarquias que são empresas públicas, porém possuem administração e capital social separado do governo. Elas geralmente atendem a função de auxiliar a administração pública em alguma esfera, sendo alguns exemplos como o BACEN e o CADE.

Empresa de economia mista

Em empresas de economia mista, o capital social da empresa é composto tanto por recursos advindos de pessoas físicas e empresas privadas, como de recursos advindos do governo. Esse tipo de empresa é comumente de capital aberto e negociada em bolsas de valores.

Famosas empresas como Petrobrás e Banco do Brasil possuem este tipo de divisão de capitais. Nos casos de empresas mistas, o lucro é o objetivo principal, assim como qualquer outra empresa privada, porém o governo possui participação na empresa por que ela possui algum caráter de importância em nível nacional, como é o caso do petróleo na Petrobrás e nas contas públicas, como no Banco do Brasil.

Então é isso. Estes são os principais tipos de empresas que existem no mercado. Agora que você já sabe como classifica-las, pode analisar sem medo seus números!

Se gostou não deixe de compartilhar com os amigos!

Até a próxima!

Deixe uma resposta