PASSIVO – OBRIGAÇÕES E ORIGENS

Tempo de leitura: 5 minutos

Como já vimos no artigo sobre Balanço Patrimonial, o ativo e o passivo são partes desta demonstração contábil utilizada como ferramenta pelos contadores da empresa para registrar seu patrimônio, seus bens e direitos em determinado momento.

No artigo de hoje, vamos abordar o lado do passivo, o local onde estão localizadas as origens do dinheiro da empresa. Vamos a ele!

Minhas dívidas e obrigações

No passivo, são registradas as operações para as quais a empresa possui um crédito com terceiros, ou seja, um valor em aberto a ser pago.

Contas como “fornecedores a pagar”, “impostos a pagar”, “empréstimos bancários” e “obrigações com funcionários” (salários e impostos sobre o trabalhador) são todas referentes a uma obrigação que a empresa possui para quitar em determinado momento.




 

No passivo, dizemos que está a origem dos recursos da empresa, uma vez que quando estamos trabalhando com recursos que não são dos sócios (patrimônio líquido), estamos nos alavancando com dinheiro de terceiros para rodar nossas atividades.

Por exemplo: Eu compro uma matéria prima a prazo e digo que vou pagar por ela em 90 dias. Dentro destes três meses eu fabrico meu produto, realizo sua venda, recebo o pagamento pela venda e no fim do prazo pago o valor devido ao meu fornecedor, ficando com o lucro da venda do produto menos o custo do fornecedor.

Percebeu que eu girei três meses de atividade sem sequer colocar 1 real meu nas atividades da empresa? Os recursos vieram somente de terceiros. Eu utilizei somente o recurso que me foi cedido pelo fornecedor e o devolvi na data correta, ficando com meu lucro. Simples não? Nem tanto!

Neste exemplo ocorre a situação perfeita em que o pagamento do fornecedor se dá depois do recebimento do valor da venda, porém nem sempre é assim.

Muitas empresas trabalham com prazos apertados ou até com fornecedores vencendo antes do recebimento dos clientes, e por isso se faz necessário o equilíbrio dos prazos de pagamentos versus recebimento, pois é muito arriscado depender só de recursos de outros. O equilíbrio entre passivo e ativo é calculado no Capital Circulante Líquido.

Posto isso, vamos à explicação das principais contas no Passivo de uma empresa:




 

1 – Passivo Circulante:

O passivo circulante (PC) de uma empresa é a soma de todas as obrigações que tem uma data de vencimento em um prazo menor do que 365 dias, ou seja, no curto prazo. As principais contas do PC são:

a) Bancos:

Os valores alocados nesta conta referem-se aos empréstimos realizados juntos as instituições financeiras. As operações mais comuns no curto prazo são as de Capital de Giro, Conta Garantida e operações em moedas estrangeiras.

b) Fornecedores:

Aqui você encontra os valores devidos aos fornecedores de matéria-prima, materiais, suprimentos e etc. que forneceram seus produtos através de um pagamento a prazo. Vale lembrar que este pagamento segue a regra do curto prazo, onde o produto é parcelado em 3 anos, por exemplo, e os valores das parcelas do primeiro ano ficam no PC, enquanto que as demais são contabilizadas no PNC.

c) Salários e benefícios:

Referente ao pagamento dos salários e dos benefícios dos funcionários da empresa.

d) Tributos e impostos:

No decorrer da atividade empresarial, são cobrados diversos impostos e tributos das empresas que geralmente possuem um prazo para o parcelamento. Nesta conta encontram-se as parcelas referentes ao curto prazo.

e) Adiantamentos:

Os valores desta conta são os adiantamentos que a empresa obteve, podendo ter recebido antecipado algum material de seus fornecedores e, portanto ficando com algum saldo a pagar em aberto.




 

f) Outros:

Aqui são classificados os saldos das contas que não possuam uma classificação própria, como valores irrisórios que não alteram a estrutura do balanço.

2 – Passivo não Circulante:

Como o próprio nome já diz, ao contrario do PC o passivo não circulante (PNC), também conhecido como “exigível a longo prazo”, se dá nas contas que devem ser quitadas em um prazo maior do que 365 dias. As suas principais contas são:

a) Bancos:

Igual ao banco de curto prazo, com a diferença de ter os vencimentos das operações financeiras acima de 365 dias. As operações mais comuns são financiamentos de máquinas e equipamentos de valores elevados que são parcelados por longos períodos.

b) Fornecedores:

Valores devidos aos fornecedores com parcelas acima de 12 meses.

c) Tributos e Impostos:

Referente tanto aos impostos normais das operações da empresa como parcelamentos de impostos devidos em atraso, os quais periodicamente o governo abre programas de negociação para parcelamento de valores em aberto.

Como classificar?

No passivo, as contas são classificadas conforme a sua exigibilidade, ou seja, o grau de necessidade de pagamento dos saldos em aberto. Como a conta de bancos possui prazos menores que as de impostos em algumas situações, coloca-se no passivo primeiro a conta referente aos empréstimos bancários.

No entanto, como muitas empresas possuem diferentes modelos de operação em suas atividades, a classificação das contas exemplificadas podem se modificar.

Então é isso! Sabendo classificar quais contas vão no passivo de uma empresa, fica mais fácil entender a origem dos recursos dela.

Até a próxima!

Deixe uma resposta