Impostos a recuperar, definição.

Impostos a recuperar, definição.

Compartilhe

Em contabilidade é comum que sejam feitas reversões de valores que são práticas normais à determinadas atividades das empresas. Uma destas reversões é bastante famosa e utilizada em quase todos os segmentos, havendo a recuperação de valores em impostos, os quais são retornados para a companhia em forma de crédito para abatimento.

Quer aprender mais sobre? Então vamos ao artigo de hoje!

Recuperação de impostos

A maioria das empresas vive decorrente da compra e venda de bens, sejam estes bens matérias para produção de um produto industrializado (matéria-prima) ou a compra de um bem já em estado final para revenda ao público.

Se imaginarmos então, por exemplo, uma indústria de bebidas alcoólicas, a empresa adquiri o que lhe é necessário para produzir com seus fornecedores, industrializa estes materiais adquiridos e depois os revende aos seus clientes.

Talvez você não tenha percebido, mas nesse processo (compra-venda) houve o pagamento de impostos duplicados. Vejamos:

1º) A empresa fornecedora “Cervinsumos” realizou a venda de malte e lúpulo para a “Best Beer” fabricar suas cervejas. Nesse processo a Cervinsumos pagou uma quantidade X% de impostos. Esses impostos estão, é claro, no preço de venda cobrado pela “Cervinsumos”.

2º) A “Best Beer”, após a fabricação da cerveja, realiza a venda para supermercados e atacadistas, sendo que neste preço de venda há também a cobrança de impostos pela sua venda.

Conclusão: Nesse caso a “Best Beer” foi duplamente tributada nesta operação tanto na compra como na venda, o que diminuiria consideravelmente suas margens de lucro.

Pensando nisso, foi criada a realização de uma compensação de impostos por tudo que a empresa adquiriu, versus tudo aquilo que ela vende, buscando não onerar demais os empreendedores de tal modo que não seja vantajoso realizar a fabricação de produtos.

Esse mecanismo é conhecido como recuperação de impostos e seus valores ficam alocados na conta de “Impostos a Recuperar”




Como funciona:

A empresa “Best Beer” compra R$ 50.000,00 em matéria prima e insumos para a fabricação de sua cerveja em Janeiro.  Os valores dos impostos* podem ser visto abaixo:

*(Clique sobre a sigla dos impostos para conferir a explicação de cada um deles)

a) ICMS: R$ 5.000,00

b) IPI: R$ 4.700,00

Com estes valores em mãos, podemos alocar cada saldo à sua respectiva conta:

Ativo Circulante

* Estoque (débito): R$ 40.300,00
IPI a recuperar (débito): R$ 5.000,00
ICMS a recuperar (débito): R$ 4.700,00

* (O valor do estoque sempre deve ser contabilizado livre de impostos).

Passivo Circulante

Fornecedores (crédito): R$ 50.000,00

Ao final de Janeiro, teremos o total de R$ 50.000,00 em ambos os lados do balanço patrimonial!

O total de valores a recuperar (R$ 9.700,00) poderá ser utilizado como se fosse “dinheiro” no momento de pagar seus impostos, abatendo este valor do total da conta de Impostos a Recolher.

Funciona assim:

Digamos que a empresa “Best Beer” tenha ao final do mês que pagar um total de R$ 15.350,00 de impostos ao governo, porém ela possui aquele saldo de R$ 9.700,00 a recuperar. Dessa maneira, confrontando um versus o outro o total devido pela empresa em impostos é de R$ 5.650,00 (R$ 15.350,00 – R$ 9.700,00).

Então é isso! Agora você sabe como compensar impostos utilizando os valores à recuperar.

Se gostou do artigo, compartilhe com os amigos! Até a próxima.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta