Depreciação, parte 3.

Tempo de leitura: 2 minutos

Nós já explicamos na parte 1 do artigo sobre depreciação (clique aqui para ler) sobre o que é depreciação e na parte 2 (clique aqui para ler) sobre a depreciação de bens já utilizados (que é quando uma empresa compra um ativo imobilizado de outra).

Neste artigo, vamos abordar quais os principais tipos de depreciação e aprender a calculá-los! Vamos ao tema…

Métodos de depreciação.

Ao longo dos séculos, diversos contabilistas teóricos foram criando formas de se calcular a depreciação dos bens das empresas. Apesar de diferentes, não é possível escolher apenas uma como correta ou errada, sendo cada uma delas aplicável a determinadas situações.

(Para saber mais sobre a origem da contabilidade clique aqui).

A seguir, uma lista com alguns dos modelos mais famosos:

a) Modelo Linear:

O método linear é o mais utilizado nas empresas e o aceito pelo governo na prestação de contas das companhias. Seu cálculo baseia-se na evolução contínua e linear da perda do valor do bem com o passar do ano.

Conforme o exemplo dado na parte 2 das empresas HIGHTECH e LOWTECH, um computador perde seu valor contábil em cinco anos. Divide-se então 100% por 5 anos e obtém-se 20% ao ano de depreciação.

b) Modelo de horas trabalhadas:

Mais utilizado em indústrias que possuem longas jornadas de trabalho com diversos turnos, o modelo de horas trabalhadas utiliza uma estimativa de horas que a máquina será utilizada.

Por exemplo, ao comprar uma nova máquina a empresa estima que ela será utilizada por 21.120 horas (ou 8 horas diárias em 22 dias no mês, com 12 meses no ano durante 10 anos = 8 x 22 x 12 x 10). A cada hora trabalhada em que se utilizou a máquina, a empresa deprecia 1/21.120 e determina o valor do bem na data. Ao final dos dez anos, tem-se a depreciação total do bem.

c) Modelo de unidades produzidas:

Parecido com o modelo de horas trabalhadas, ao adquirir uma nova máquina, a empresa determina quantas unidades serão produzidas durante toda a vida útil do bem e vai depreciando seu valor de acordo com a produção realizada.

d) Modelo de soma dos algarismos dos anos:

Este método é um tanto quanto complicado e utilizado por pouquíssimas empresas. O seu método é calculado conforme exemplo abaixo:

Veículo
Valor:
R$ 50.000,00
Anos de depreciação: 5

Pega-se então o número de anos de depreciação e realiza-se a sua “decomposição”. No nosso caso em 5, depois o 4, e assim sucessivamente até chegar ao 1 (5, 4, 3, 2, 1). Soma-se então os números da decomposição, conforme abaixo:

5 + 4 + 3 + 2 + 1 = 15

Por fim, multiplica-se o número decomposto pelo valor total do bem, no nosso caso R$ 50.000,00, dividindo o produto da multiplicação pela soma da decomposição. Vejamos como ficará a depreciação do nosso veículo

Ano 1: (50.000,00 x 5)/15 = R$ 16.666,67

Ano 2: (50.000,00 x 4)/15 = R$ 13.333,33

Ano 3: (50.000,00 x 3)/15 = R$ 10.000,00

Ano 4: (50.000,00 x 2)/15 = R$ 6.666,67

Ano 5: (50.000,00 x 1)/15 = R$ 3.333,33

Total depreciado: R$ 50.000,00 em 5 anos.

Então é isso… agora você conhece diversos meios de depreciar os ativos de uma empresa e calcular de forma correta o valor de cada bem!

Se gostou compartilhe com os amigos!

Até a próxima!

Deixe uma resposta