ATIVO – BENS E DIREITOS

Tempo de leitura: 6 minutos

Depois de entendermos o que é um balanço patrimonial, para que ele serve e qual a sua estrutura, vamos começar a expandir suas contas patrimoniais a fim de melhorar o entendimento de nossos leitores acerca das ferramentas utilizadas na contabilidade.

No artigo de hoje, vamos abordar o Ativo e explorar suas contas para dar suporte aos que realizam a profissão de contador. Vamos ao conteúdo!

Ativo, tudo o que é meu está lá!

Pense no ativo como em uma folha de papel ou uma planilha de Excel aonde você anotaria todas as coisas que você possui, tanto em estado físico como em quantidades monetárias. Você anotaria um carro, uma casa, alguns eletrodomésticos e também aquele dinheiro que você possui guardado na poupança ou em algum investimento.

O total de anotações é referente a todas as coisas físicas e monetárias que você possui e isso é exatamente o que uma empresa faz quando contabiliza o seu Ativo.

No ativo de uma empresa, você encontra seus bens e direitos. Os bens são máquinas, móveis para escritório, carros da frota, computadores, matéria-prima para a fabricação de seus produtos e outros itens utilizados no dia-a-dia da operação da companhia, mas também encontrará saldos que a empresa possui em valores monetários, como o caixa da empresa que contém as disponibilidades financeiras dela ou as aplicações financeiras que são os investimentos que a empresa realiza.




 

Enquanto que os direitos referem-se a coisas que a empresa tem, como o nome já diz, o direito de receber, como quando ela realiza uma venda a prazo e o cliente se compromete a pagar o valor combinado depois de um prazo.

Esse valor à receber constitui um direito de recebimento monetário, que a empresa registra em seu ativo.

Vamos ao detalhamento de cada conta:

1 – Ativo Circulante:

O ativo circulante (AC) de uma empresa é a soma de todos os itens que serão consumidos, utilizados ou recebidos em um prazo menor do que 365 dias, ou seja, no curto prazo. As principais contas do AC são:

a) Disponibilidades

  • Caixa: o saldo desta conta refere-se aos valores que a empresa tem disponível para uso imediato em espécie, geralmente mantêm-se pequenas quantias para emergências ou gastos pontuais.
  • Bancos: nesta conta ficam os valores que a empresa possui em disponibilidade, porém em maior volume, não sendo possível (ou recomendado) guardar este valor em caixa para evitar manter grandes quantias em espécie.
  • Aplicações financeiras: aqui ficam os investimentos da empresa, sendo que estes são em ativos de alta liquidez, ou seja, são conversíveis facilmente em dinheiro, como ações ou caderneta de poupança.

b) Clientes

Nesta conta estão os saldos de valores à receber dos clientes através do pagamento de dívidas geradas através da venda de produtos à prazo, porém em parcelas menores que um ano.

c) Estoques




 

Aqui ficam os valores referentes a todo e qualquer tipo de estoque que a empresa possua, podendo ser:

  • Estoques de Matéria-prima
  • Estoques de produtos acabados
  • Estoquem de produtos em produção

d) Adiantamentos

Os valores desta conta são os adiantamentos que a empresa realizou, podendo ter antecipado algum material aos seus clientes e, portanto ficando com algum saldo à receber em aberto. Também ficam aqui os adiantamentos monetários realizados aos próprios funcionários.

e) Impostos a recuperar

Em alguns casos, é possível gerar créditos na compra e venda de mercadorias, sendo estes créditos utilizados para diminuir a carga tributária da empresa ao final de um período. Os valores alocados nesta conta serão utilizados para compensação aos valores a pagar de impostos, permitindo a empresa desembolsar menos valores por seus tributos.

f) Outros

Aqui são classificados os saldos das contas que não possuam uma classificação própria, como valores irrisórios que não alteram a estrutura do balanço.

2 – Ativo não Circulante:

Como o próprio nome já diz, ao contrario do AC o ativo não circulante (ANC), também conhecido como “realizável a longo prazo”, se dá nas contas que serão consumidas, utilizadas ou recebidas em um prazo maior do que 365 dias. As suas principais contas são:

a) Aplicações financeiras de longo prazo

Saldo das aplicações financeiras que não são prontamente transformadas em dinheiro, como títulos com vencimento para 5 ou 10 anos.

b) Clientes longo prazo

Assim como na conta de Clientes do AC, o saldo desta refere-se ao direito de receber determinado valor originado na venda de produtos, porém com prazos maiores de 1 anos.

Caso o produto seja parcelado em 3 anos, os valores das parcelas do primeiro ano ficam no AC, enquanto que as demais são contabilizadas no ANC.

c) Adiantamentos

Nesta conta estão os adiantamentos a terceiros que serão devolvidos em um prazo superior a um ano.

d) Impostos a recuperar

Créditos de impostos que serão recuperados em um prazo maior que um ano.

e) Outros

Igual ao AC, aqui são classificados os saldos das contas que não possuam uma classificação própria, como valores irrisórios que não alteram a estrutura do balanço.

3 – Permanente:

Aqui estão localizados os ativos que são de fato utilizados para a operação da empresa. Máquinas, equipamentos e terrenos são contabilizados nesta parte do ativo, porém, também são contabilizados os valores do ativo intangível ou equivalências patrimoniais.




 

a) Investimentos

Podem ser investimentos em terrenos que não são utilizados nas operações da empresa, podendo ser vendidos no futuro com valorização ou depreciação. Também ficam nesta conta os investimentos em coligadas (empresas irmãs ou filhas).

b) Imobilizado

Aqui ficam os valores referentes às máquinas, móveis, instalações e qualquer item que a empresa possua em seu poder para tocar suas operações. Estes devem sofrer periodicamente a depreciação.

c) Intangível

Valores referentes a coisas não materiais, ou que não podem ser tocadas, como marcas e patentes que a empresa possua.

Como classificar?

No ativo as contas são classificadas conforme sua liquidez, ou seja, conforme sua capacidade de se transformarem em dinheiro rapidamente. Por exemplo, uma conta de clientes é mais fácil de se transformar em dinheiro pois só necessita realizar a cobrança antecipada do cliente do que uma conta de impostos a recuperar, que necessita ser confrontada com o pagamento de impostos devidos.

Já a conta de disponibilidades é muito mais líquida do que a conta de estoques, uma vez que o estoque precisa ser vendido enquanto o investimento só precisa ser resgatado. As contas apresentadas neste artigo estão na ordem de liquidez comumente aceita pelos contadores.

Então é isso! Agora que você já sabe quais são as principais contas do ativo e como classifica-las, você pode por a mão na massa nos seus primeiros balanços.

Para conhecer a contrapartida do Ativo, clique aqui e leia o artigo sobre o Passivo das empresas.

Até a próxima!

Deixe uma resposta